Na Pilha!

O trabalho no futuro

Da edição
por: Régis Fabris
Data: 07/11/2017 | 14:43

O trabalho no futuro

Com o aumento da expectativa de vida, é natural prever que as pessoas irão trabalhar por mais tempo. Ao invés de um fardo, no entanto, o trabalho, para as novas gerações, deve surgir com uma nova dinâmica, com muito mais propósito e possibilidade de mudança.

Ao invés de uma única carreira, será normal ter três, quatro profissões diferentes ou complementares ao longo da vida. O desafio, nesse contexto, é ter um timing certo para as mudanças, e também se preparar com conhecimento, formação e experiências para encarar as novas exigências do mundo do trabalho.

Ficou interessado? Então vem saber mais sobre esse assunto!

###

Da docência para o próprio negócio

Estudante de Engenharia Mecânica, Benhur Barcellos, 27 anos, decidiu dar um tempo nessa jornada para perseguir um outro sonho. Ele conta que, há três anos, iniciou leituras relacionadas à liderança e empreendedorismo, momento em que começou a pensar em ter seu próprio negócio.

Em 2016, Benhur identificou um nicho para o empreendimento, e com base em seus estudos, chegou à conclusão que nos Estados Unidos, teria que investir 10% do valor que investiria no Brasil. No início deste ano, ele, que era professor na unidade do Senai de Venâncio Aires, comunicou seu ex-diretor que ao término das turmas que ministrava, iria desligar-se da instituição, o que ocorreu no último mês de outubro.

Foto: Régis Fabris / Na Pilha!Benhur deu um tempo na Engenharia Mecânica para dedicar-se à gestão e gastronomia
Benhur deu um tempo na Engenharia Mecânica para dedicar-se à gestão e gastronomia

 

Porém, neste meio tempo, Benhur teve seu visto americano negado, um entrave no caminho que não o fez desanimar. Com um novo plano em mãos, pretende agora, investir em um food truck em Venâncio Aires.

Na opinião de Benhur, todas as experiências profissionais que teve o fizeram pensar mais à frente, tanto em termos de metódos, quanto de relacionamento com outras pessoas. Realizado com o importante passo que está dando em sua vida, afirma ainda que a prioridade, agora, é buscar mais qualificação por meio de cursos relacionados à gestão e na área da gastronomia.

###

Uma troca que deu certo: da área farmacêutica para a confeitaria artística

Fernanda Muller é formada em Fármacia e durante sete anos exerceu a profissão como farmacêutica responsável de um estabelecimento em Venâncio Aires. Há dois anos, no entanto, a jovem passou a dedicar-se exclusivamente à sua empresa, que produz bolos, cupcakes, entre outros doces.

E toda essa história, garante Fernanda, aconteceu bem por acaso. Em todos os Natais, sua mãe presenteava a família com docinhos de massa, mas em 2012, as duas resolveram inovar e fazer um cupcake recheado (bolinho individual), ao invés das tradicionais bolachinhas natalinas.

A jovem conta que tudo começou sem nenhuma intenção comercial, mas o sucesso foi tão grande, que logo estava comercializando os doces. 'Recebi inúmeras encomendas, e foram feitas mais de 200 unidades em um mês. Esse valor servia como um complemento na renda mensal', relata.

 

Foto: Marília Haas / Na Pilha!Há dois anos, Fernanda dedica-se exclusivamente para sua empresa
Há dois anos, Fernanda dedica-se exclusivamente para sua empresa

 

Hoje, assim como se sentiu realizada atuando no ramo farmacêutico por anos, Fernanda se sente realizada com seu próprio negócio. Ela comenta, contudo, que a transição profissional foi tomada com muita cautela e avaliação dos prós e contras, e confessa que esse foi um passo muito importante para seu crescimento pessoal e profissional.

Já fazem seis anos que a empresa existe, e no momento, Fernanda aposta em cursos de qualificação para estar sempre por dentro das novidades da confeitaria artística. 'O cliente não imagina o trabalho que está por trás de um 'simples' pedido. É muita pesquisa e dedicação para se chegar a um resultado satisfatório', completa.

###

Acompanhar o que acontece no mundo é fundamental

Conforme a professora do curso de Administração da Universidade de Santa Cruz do Sul (Unisc), Leticia Schramm Arend, cada vez mais a profissão escolhida pelas pessoas, independente da idade, está relacionada a um propósito.

'Hoje, qualquer profissional quer ser feliz naquilo que faz, na sua atuação profissional, e se conseguir relacionar esta atuação com o seu propósito de vida, será a relação perfeita', afirma.

 

Ela explica que, nesse contexto, a qualificação profissional sempre será importante, e as competências - que envolvem conhecimento, habilidades e atitudes - são fundamentais para a atuação eficaz do profissional.

'Buscar conhecimento na sua área de atuação é necessário para o sucesso profissional, e esta qualificação pode ocorrer através de cursos oferecidos pelas universidades, que também estão se adaptando as mudanças no mercado de trabalho, oferecendo cursos técnicos e de graduação para esta geração de pessoas que quer empreender com propósito, independente da sua área de atuação'.

A professora ainda destaca como uma importante habilidade, aquelas que estão relacionadas a convivência com pessoas, pois por mais que se tenha a tecnologia presente, a arte de conviver e se relacionar com os outros no ambiente de trabalho permanece sendo um grande desafio.

Segundo Leticia, o estudante de hoje precisa estar atualizado com o que acontece ao seu redor e no mundo. A professora comenta com preocupação, o fato de muitos de seus alunos não estarem sabendo sobre notícias e questões que acontecem no dia a dia, e na opinião da professora, ter informação é fundamental para todo o profissional.

'Então, além de frequentar a universidade, onde conhecimentos, habilidades e atitudes são desenvolvidas nos alunos, estes também precisam ter a atitude de colocar em prática o que estão aprendendo, e sempre ficar atento às mudanças a nossa volta'.

Foto: Divulgação / Na Pilha!Letícia é professora no curso de Administração da Unisc
Letícia é professora no curso de Administração da Unisc