Na Pilha!

Fotografia

Da edição
por: Débora Kist
Data: 24/08/2018 | 14:37

A fotografia pode ser utilizada para informar, recordar ou como uma expressão artística. Considerada uma das invenções mais extraordinárias da história da humanidade, ela literalmente revolucionou a sociedade a partir da metade do século XIX, assim como a cultura, a economia e as artes. Algo tão emblemático, merecia um dia especial, o qual é comemorado mundialmente sempre em 19 de agosto.

A escolha desse dia foi para homenagear a invenção do daguerreótipo, o antecessor das câmeras fotográficas. Foi em 19 de agosto de 1839 que a Academia Francesa de Ciências anunciava mundialmente a nova invenção. Passados quase 180 anos, muita coisa mudou, evoluiu e diminuiu (!). Seja com máquinas profissionais ou com o próprio celular, a fotografia é praticamente algo inerente à rotina das pessoas.

O Na Pilha!, que não poderia deixar a data de lado (foi no último domingo), traz uma edição especial. Informações sobre a profissão, sobre quem está estudando e mesmo curiosidades para os fotógrafos amadores.

Uma profissão para se expressar e transmitir sentimentos

A estudante do Curso Superior de Tecnologia em Fotografia da Universidade de Santa Cruz do Sul, Pâmela Almeida, 20 anos, escolheu esta profissão por ser uma área em que se sente livre para criar, se expressar e transmitir sentimentos. Ela conta gostar muito do curso que escolheu. Além de aprender a teoria, é na prática que ela testa todas as técnicas e aprende a ter noção de cada segmento existente na profissão. 'Eu, pessoalmente, amo muito cursar foto, claro que sempre há aqueles momentos de tensão em função dos trabalhos, mas ainda assim o aprendizado é o que mais vale', comenta.

Uma dica que ela dá aos jovens que gostam de fotografia e que pensam em atuar nesta área, é da importância de buscar o aprendizado em uma instituição de credibilidade. 'Se você é uma pessoa que gosta de foto e quer entrar nesse mercado, o diferencial é ter um conhecimento a mais. Eu diria que o curso te ensina como fotografar, como se expressar através das suas fotografias, como lidar com pessoas e ajuda a criar contatos profissionais que podem te ajudar futuramente.'

Atualmente, Pâmela já trabalha para um fotógrafo e também faz alguns 'bicos' como freelancer em eventos como formaturas, casamentos, 15 anos, entre outros. Mas ela confessa que sua paixão é a fotografia 'sensual' e por isso já vem se especializando no segmento para quando concluir a graduação poder dedicar-se totalmente à área.

Foto: Divulgação / Pâmela Almeida tem 20 anos e é estudante do Curso Superior de Tecnologia em Fotografia da Unisc
Pâmela Almeida tem 20 anos e é estudante do Curso Superior de Tecnologia em Fotografia da Unisc

Fala aí, Professor!

Em um primeiro momento, tirar uma foto, fazer um registro, pode até parecer algo fácil, mas é aí que você se engana. Por trás de uma fotografia, é possível se enxergar inúmeras peculiariedades e isso vai do olhar de cada profissional e do que ele quer transmitir através daquele registro. Alexandre Davi Borges é professor do Curso Superior de Tecnologia em Fotografia da Unisc e fala com orgulho desta profissisão que vem conquistando cada vez mais admiradores mundo à fora. ' A ideia da fotografia profissional é sustentada justamente pelo desenvolvimento de um processo profissional mais avançado. Há tempos átras as pessoas compravam câmeras e achavam que era suficiente, mas com o tempo viram que não é algo tão simples assim', enfatiza.

O professor destaca que para ser um bom profissional alguns fatores como responsabilidade e organização são importantíssimos para ter sucesso na carreira. Não é apenas fotografar, mas sim, deve-se pensar em todo contexto e analisar o que realmente aquela imagem quer passar. Alexandre também salienta como a profissão vem se desenvolvendo na atualidade e conquistando cada vez mais espaço. Hoje em dia é possível atuar em vários ramos da fotografia, como publicitária, de moda, fotojornalismo, construção de projetos para arquitetos, eventos, infantil, fotografia criminal, entre outras opções, apesar de que poucos profissionais sigam o caminho do mercado de produção.

O curso de foto da Unisc oferta o contato com todas estas possibilidades citadas acima. Através da relação com professores, alunos e universidade, há um crescimento pessoal entre todos à partir das vivências e troca de experiências. ' Além de ser um curso mais barato comparado a outros e com menos tempo de duração, o estudante já se torna apto a fotografar à partir do segundo semestre da graduação. Fica o convite a todos que tem curiosidade em conhecer a estrutura do curso, que hoje conta com dois estúdios de fotografia', finaliza Alexandre.

Para ter no celular: quatro aplicativos de edição de fotos

Já que nossa edição fala sobre fotografia e sabendo que nossos leitores adoram tirar uma foto e estão sempre em busca do melhor ângulo, da melhor luz, e são super ligados nas redes sociais, o Na Pilha! pesquisou quais os aplicativos mais usados na hora de editar uma foto. Preparamos uma seleção esperta de apps para conseguir um bom resultado nos cliques que se faz do celular mesmo. Confere aí!

Lightroom cc
Uma das melhores alternativas para cuidar das imagens. Não é filtro, é só configuração. Dizem que é ótimo para melhorar as condições de luz, sombra, contraste. Por exemplo, dá pra deixar o mar mais azul (Cor > Mist. > Azul > + Saturação) ou, caso você tenha uma loja virtual, corrigir a cor de uma peça que saiu diferente da realidade.

Facetune
Ás vezes, tudo o que a gente quer é dar um jeito na roupa amassada ou naquela mecha de cabelo fora do lugar. O Facetune é perfeito para isso! É possível até tirar tomadas e rachaduras de parede com ele. As ferramentas preferidas do aplicativo são o 'Remendar' e o 'Suavizar'. Só tome cuidado com os exageros!

Big Lens
Sabe o efeito retrato do iPhone? Pois bem. Com esse app, você consegue desfocar o fundo de qualquer foto, assim como o recurso do Jobs. O segredo é aplicar apenas no que está em segundo plano ou vai ficar meio falso.

Huji
Virou febre há algum tempo e ele é responsável por uma vibe 'vintage' na foto, que lembra filmes de câmera analógica. Na versão gratuita, você não consegue importar uma foto do álbum e precisa fotografar direto por ele.