Na Pilha!

Da poesia para a música

Da edição
por: Débora Kist
Data: 15/03/2018 | 14:35

O venâncio-airense Lucas Lopes sempre gostou de cantar e sempre gostou de escrever. Isso se intensificou na adolescência, quando começou a escrever poesia e percebeu que as letras poderiam virar canções. Hoje com 21 anos e conhecido como Lucas Brown, ele tem até um canal no YouTube onde já lançou cinco músicas. A maioria de suas composições é a partir de três ideias: sobre romance, sobre diversão e sobre batalhar pelos sonhos.

Foto: Divulgação / Divulgação Lucas Brown vê nas situações do dia a dia oportunidades para compor
Lucas Brown vê nas situações do dia a dia oportunidades para compor

'Minhas poesias são sobre coisas que vivencio, coisas que observo em lugares, em pessoas, sobre o que estou sentindo. Depois, faço a música em cima delas', explica.

Uma das poesias/canções é o rap 'Minha harmonia', cujo clipe pode ser conferido na página do Lucas no YouTube.

Minha harmonia

Você é minha harmonia do jeito que eu sempre quis
Garota Cê é tão, eu quero te fazer feliz
Ela é daquelas que tu encontra uma vez,
E que manda ''eu te amo, dorme bem'' depois das 3
Que liga no trabalho dizendo ''to com saudades''
Respodo ''eu chego logo, prometo não chegar tarde''
De mim ela faz parte, a gente é como um,
Nem o tempo nos separa e isso não é comum
E ela me completa que nem feijão com arroz,
Vem ser feliz comigo e deixa o resto pra depois

Então o que eu digo, encare como verdade,
Escrevendo essa letra, vi meu sonho realidade
Já estourei minha caneta, de tanto escrever,
Mas tudo se paga, quando canto pra você
Eu faço o impossível, para ter o teu sorriso
Porque é só com ele, que eu vejo o paraiso

Hey a gente pode se encontar
Sei, nada vai nos separar
Hey você é minha harmonia
Minha harmonia

Hey a gente pode se encontar
Sei, nada vai nos separar
Hey você é minha harmonia
Minha harmonia, Minha harmonia

E hoje eu acordei dando bom dia para o sol
Eu sou teu beija flor e você é meu girassol
Talvez tu nem escute, mas eu ainda vou canta
Tu pode até sumir, mas tu sabe eu vou lembrar

De tudo que diz, de tudo que tu é
Eles veem uma menina, mas eu vejo uma mulher
Que sabe o que faz, que sabe o que quer
Que possui qualidades, que de moça se requer

Que pensa no futuro família, facul e emprego
Mas eu só quero ela, no resto dou jeito
Com pose de menina, com jeito delicado
O que eu não daria para ter ela do lado

Quando eu penso nela o dia não amanhece
E se eu to com ela, ah então esquece
Porque ela compreende tudo o que eu digo
Por isso em tempestades se torna meu o abrigo