Bate-papo pilhado: Geração tombamento

Da edição
por: Ana Carolina Becker
Data: 01/11/2018 | 09:47

Trabalhar as questões que envolvem o preconceito são sempre importantes. Há três anos, a Secretaria Municipal de Educação de Venâncio Aires desenvolve, anualmente, um bate-papo com estudantes das redes municipais, públicas e privadas sobre o preconceito enfrentado pelos jovens, principalmente, os negros.
Nesse ano, com a temática 'Geração Tombamento' é o momento de refletir sobre os frutos e as 'barreiras' que foram quebradas. Na edição do Na Pilha! de hoje, a idealizadora da proposta, Silvania Inês de Carvalho, compartilha um pouco de como deve funcionar o evento que ocorre no dia 13, das 8h às 11h, na Sociedade Négo.


Um bate-papo para falar das conquistas

Foto: Juliana Bencke / Arquivo FM.

Ocorre no dia 13 de novembro, das 8h às 11h, na Sociedade Négo, o 3º Bate-papo Pilhado, promovido pela Secretaria Municipal de Educação de Venâncio Aires, União dos Estudantes de Venâncio Aires (Uesva), Na Pilha! e Négo.

A proposta foi criada com intuito de quebrar os preconceitos enfrentados pelos negros. De acordo com a coordenadora das questões Afro Indígenas da Secretaria Municipal de Educação, Silvania Inês de Carvalho, o bate-papo surgiu a partir da lei que fala sobre a importância de ocupar os espaços da sociedade onde acontecem e se encontram os negros. Pensando nisso, estabeleceu-se uma parceria entre os envolvidos da iniciativa que chega no terceiro ano.

Com temas relevantes em debate em cada edição, depois de abordar sobre 'Invisibilidade do Jovem Negro', na segunda edição foi tratado 'O empoderamento do jovem negro em Venâncio Aires' e com isso já se conseguiu obter resultados, de acordo com Silvania. Nesse ano, ao abordar a 'Geração Tombamento', os organizadores querem ver as 'barreiras' que já foram quebradas ao longo desse trabalho.

Público + Atividades
A proposta é aberta para os estudantes que integram os Grêmios Estudantis, líderes de turma de escolas municipais, estaduais ou particulares, professores orientadores e supervisores.
Esse público foi convidado e prepara cartazes com o que já foi tombado e combatido na escola diante das questões ligadas ao preconceito, além de um grito de guerra que deve ser apresentado junto com o material. Silvania explica que os estudantes também foram convidados a escolher um representante para apresentar uma roupa ou um penteado afro em um desfile organizado para a data.

Foto: Arquivo Pessoal / Na Pilha!;

Palestrante
A psicóloga Fernanda Landim estará participando do evento onde falará sobre a temática 'Geração Tombamento'. Formada pela Universidade de Santa Cruz do Sul (Unisc), ela também é pós-graduada em Avaliação Psicológica pela instituição, pós-graduada em Psicologia Organizacional pela Faculdade de Desenvolvimento do Rio Grande do Sul (FADERGS) e tem experiência há mais de três anos como Técnica Social - Psicóloga na Política de Assistência Social de Porto Alegre.

Te liga nas atividades
-Bate-papo com a psicóloga Fernanda Landim
-Desfile de cabelos e roupas afros
-Apresentação dos cartazes e gritos de guerra
-Intervenção dos estudantes na palestra a partir de uma dinâmica com palavras