Na Pilha!

Assassinando minha infância com Batman vs. Superman

No Controle
por: João Pedro Filippe
Data: 19/04/2016 | 14:30

Neste final de semana finalmente fui ao cinema assistir o divisor de águas Batman vs. Superman: A Origem da Justiça, filme de Zack Snyder que fez com que os críticos o odiassem e alguns o amassem. Deixe-me explicar:

O filme se trata essencialmente de um conflito entre Batman e Superman. Então, eu lhe pergunto, por qual motivo a briga desnecessária só acontece com quase duas horas de filme? Nada faz sentido por aqui, e assim como fiz com Arquivo X, vou dissecar esta tentativa de sucesso.

Meu problema principal com este filme é que ele destrói completamente a essência dos personagens que aparecem nele. Bruce Wayne nunca mataria alguém após ter visto seus pais serem assassinados em sua frente, mas isso não parece impedir o personagem de matar desenfreadamente durante o filme. Superman sempre possuiu um coração de ouro - nunca dentro de circunstância nenhuma mataria ninguém - e no filme mata, de novo (assim como fez em Homem de Aço). Fica evidente que Zack Snyder faz estes filmes apenas para ele mesmo.

A versão dos personagens apresentada nas telas de cinema não corresponde com as versões originais imaginadas pelos criadores nos quadrinhos, e isso é o que estraga tudo. Pense e diga o que quiser dos filmes da Marvel, os personagens são os mesmos seja nos quadrinhos, seja nos longa-metragens. Os filmes possuem violência, momentos sérios e tristes, mas não em um tamanho tão grande que faça crianças correrem chorando do cinema como aconteceu com este filme.

Estes são super-heróis que crescemos assistindo na televisão, lendo nos quadrinhos e admirando, sendo completamente esquartejados e perdendo suas melhores qualidades e o que os tornam heróis para começo de conversa. As crianças não têm como assistir um filme destes. Minha criança interior chora cada vez que pensa que o diretor desta bomba gigantesca mal escrita e desnecessariamente dark é o responsável pelos filmes da Liga da Justiça.

Agora que desabafei sobre isto, vamos a outro problema do filme: a rápida aparição dos outros integrantes da Liga. Nunca vi algo tão mal pensado em minha vida - e eu assisti Sharknado! Tenho vergonha pelas pessoas que escreveram a cena em que a Mulher Maravilha abre um e-mail (!) e vê vídeos (!!) mostrando os outros integrantes da Liga da Justiça explorando suas habilidades. Ela descobre da existência dos outros ATRAVÉS DE UM E-MAIL. Repito: um e-mail. É sério isso? ESSA é a melhor forma que pensaram em mostrar os outros personagens? Nem fanfiction é escrita de forma tão ruim. Céus, nem os quadrinhos são tão ridículos assim!

E o pior, para completar, é que eu realmente queria gostar desse filme, assim como queria gostar de Homem de Aço, mas não tem como. Não dá. A melhor opção para assistir esses super-heróis clássicos e icônicos juntos enfrentando o mal continua sendo através do desenho animado de 2004, que embora seja uma animação "antiga" possui melhor desenvolvimento, enredo e personagens que este filme.